Daniel Duende é escritor, brasiliense, e tradutor (talvez nesta ordem). Sofre de um grave vício em video-games do qual nunca quis se tratar, mas nas horas vagas de sobriedade tenta descobrir o que é ser um blogueiro. Outras de suas paixões são os jogos de interpretação e sua desorganizada coleção de quadrinhos. Vez por outra tira também umas fotografias, mas nunca gosta muito do resultado.

Duende é atualmente o Coordenador do Global Voices em Português, site responsável pela tradução do conteúdo do observatório blogosférico Global Voices Online, e vez por outra colabora com o Overmundo. Mantém atualmente dois blogues, o Novo Alriada Express e O Caderno do Cluracão, e alterna-se em gostar ora mais de um, ora mais de outro, mas ambos são filhos queridos. Tem também uma conta no flickr, um fotolog e uma gata branca que acredita que ele também seja um gato.

domingo, 30 de dezembro de 2007

Feliz Ano Novo adiantado...

Chegou a minha hora de ir. Espero que se interessem pelos posts que encontrei tempo para fazer neste penúltimo dia do ano.

Abraços do Verde e Feliz Ano Novo Gregoriano a todos.

Posts novos do Murilão

O meu tempo está curto, e não dá para falar muito sobre os assuntos, mas o Murilão (do Ecologia Digital) está com dois posts novos bem interessantes.

Um deles fala dos novos rumos da indústria da música e das formas de alguns artistas de lidar com os novos tempos e tirar proveito deles.

O outro fala da grande influência das redes sociais (e da geração que delas se apossou primeiro) nos mercados de trabalho e nas relações entre as pessoas. Ele até ressucita a velha campanha do caro-cara R.Taddei ("Troque seu Orkut por um Blog")

Não é porque o Murilão é meu irmão não. Sempre que o cara encontra tempo para escrever, vale a pena dar uma lida. Ele geralmente sabe bem do que está falando.

É perigoso dar nomes santos a ursinhos de pelúcia.

Outra coisa que está dando o que falar é a história *ABSURDA* da professora primária do Sudão que foi presa, e corre o risco de ser chicoteada, por deixar que seus alunos dessem o nome de Mohammed a um ursinho de pelúcia.

Pelo visto, todo Muhammed do Sudão deveria ser como o profeta, e eles não parecem abertos à idéia de profetas de pelúcia e, muito menos, à possibilidade de que para as crianças (e para a pobre professora) Mohammed possa ser apenas um nome -- por sinal um nome bem comum em todos os países islâmicos.

O Imperador Bupu ainda não se manifestou sobre o assunto.

E o racismo ainda dá o que falar.

A matéria de Paula Góes sobre racismo, que foi citada até pela Folha, ainda está dando o que falar. A chegada de um defensor português da pureza racial (que afirma que é a mistura das raças no terceiro mundo a verdadeira responsável por sua situação) aqueceu um bocado o debate.

Se você, assim como eu, também acha a afirmação do hermano lusitano um tanto estapafúrdia, vale dar uma passada por lá na matéria para deixar sua opinião.

Promessas de ano novo.

Tenho lido e escrito um bocado. Tenho vivido e pensado e aprendido um bocado também. Entre tantas coisas que tem passado pelos meus olhos e pela minha cabeça, há muitas que mereciam chegar até a tela branca do Alriada Express. Mesmo assim, a indisciplina somada ao simples volume de acontecimentos e idéias que vem preenchendo minha vida, está meio difícil sentar e blogar sobre tudo, ou sobre quase qualquer coisa, nestes últimos dias. Mas isso deve mudar. Acho que agora tenho mais a dizer, e quero muito poder dizer todas estas coisas no lugar que construí para este fim.

Então fica assim, como promessa de ano novo, prometo habitar mais esta "parte da minha presença". Nos vemos por aqui, meus 7 leitores, neste ano novo que vem chegando e, eu espero, também nos anos que virão.

Feliz Ano Novo Gregoriano para todos nós, e que os Deuses nos abençoem.

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Notícias sobre a nova regulamentação da internet no Japão, no Global Voices em Português.

Pelo que parece, o projeto da nova regulamentação da internet no Japão -- que prevê inclusive controle sobre os "conteúdos abertos" que trafegam pela rede -- está a todo vapor. A coisa é delicada e preocupante, mas a princípio é até um alívio observar como as noções de democracia (digital) japonesa estão razoavelmente bem azeitadas.

Primeiro produziu-se um relatório inicial com propostas para a regulamentação, e este foi submetido a uma consulta pública em um site governamental do Japão (onde recebeu mais de 270 comentários). Depois disso, foi elaborado um relatório final que -- pasmem -- levou em conta várias das colocações feitas na consulta pública. Não é impressionante!?

Mas nem tudo são flores de cerejeira no novo projeto da regulamentação da internet nipônico. Há ainda uma grande preocupação a respeito dos futuros passos que o projeto pode dar em processo de transformação em lei (a ser votada, a princípio, em 2010. um tempão, não?). Colocações ainda vagas sobre responsabilidades e penalidades a serem aplicadas (embora estas últimas tenham sido rechaçadas na consulta pública, fazendo o governo recuar) ainda preocupam os blogueiros japoneses, e a possibilidade de que a avaliação do conteúdo fique à cargo do próprio governo, e não de uma agência mista independente, estão eriçando os cabelos de nossos colegas da terra do sol nascente.

Quer saber mais a respeito? A matéria de Chris Salzberg para o Global Voices Online (traduzida por Paula Góes, a corajosa, para o Global Voices em Português) captura uma grande quantidade de material sobre o assunto, retirado da blogosfera japonesa.

E por aqui? Como vão as coisas? Será que, quando chegado o momento um tanto inevitável de que a discussão de uma nova regulamentação de internet no Brasil ganhe força novamente, será que o nosso governo também vai saber perguntar com jeitinho e escutar as respostas com carinho? Um exemplo razoável de como fazê-lo não nos falta. Hai!

Site do Ministério da Cultura do Brasil é notícia aqui e na Europa.

Deu um bocado de trabalho, mas valeu a pena. O novo site do Ministério da Cultura do Brasil -- todo feito em WordPress com uns plugins bacanas -- é agora notícia no WebInsider e (motivo de admiração e inveja) na Europa.

Não que precisemos da aprovação (ou da ovação) deles para saber que a coisa é boa, mas é sempre bom ver um bom trabalho ser reconhecido. Espero que isto sirva para mostrar aos pessimistas de plantão para quê serviu todo aquele trabalho para mudar o modo de pensar e fazer internet no governo -- trabalho de fé e de força de vontade de tanta gente boa que conhecí e que ainda acompanho em sua luta diária lá na Esplanada.



Parabéns pro Murilão e toda a sua equipe. Parabéns para toda a galera do SL-Gov.
Vocês estão, como de costume, de parabéns.

Abraços do Verde.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Ninguém mais deu atenção aos "Boatos"?

É impressão minha, ou até agora (18:59 do dia 17/12) eu sou o único a comentar horrorizado sobre o quadro Central de Boatos do Fantástico de ontem? Talvez eu seja um exagerado, e não pegue nada. Mas eu achei bastante preocupantes as piadas feitas com a Venezuela e com o povo venezuelano. São só piadas, eu sei, mas elas mostram bem o ponto de vista que a Globo, assim como suas comparsas midiáticas (Veja bem, elas são várias), querem passar para o povo: A América Latina não é legal. Os governantes de esquerda são radicais perigosos. Legal é ser europeu, comer na mão do primeiro mundo e tentar ser como eles. Não parece preocupante?

De qualquer forma, agradeço à minha companheira Patinha por tentar afastar o tédio ligando a televisão nestes fantásticos programas da Globo. É bom pra rir, e pra ficar a par das piadas sem graça também.

domingo, 16 de dezembro de 2007

Não é Fantástico, Homer?

É realmente fantástica a capacidade da Rede Globo de se superar em mediocridade e jornalismo sensacionalista mal intencionado em seu especial dominical "Fantástico".

Matérias ruins e cheias de distorções, apresentadas com o tom de quem fala com um débil mental (ou com um Homer Simpson, como diria o William Bonner), perfazem todo o programa: Exotização dos índios do Alto Xingú, estatísticas estapafúrdias advindas de pesquisadores ingleses que nada têm o que fazer, comentários sobre os hábitos de mentir sobre gastos dos casais de Ipanema e Leblon (que para a Globo parecem ser o Brasil inteiro) e um especial de moda exortando a beleza do balonê...

Onde a Globo vai parar com essa merda toda? Onde bem quiser, como de costume.
Afinal de contas, por pior que seja a programação, todo mundo assiste.
Isso não é Fantástico?

Duuuuuuuuuff!


P.S. Quer mais? Tropa de Elite ternurinha no Central da Periferia (aquele programa que serve pra empatizar os fodidos com os mais fodidos do mundo afora) e lições neoliberais engraçadinhas de política externa latino-americana em um tal de "Central de Boatos", ou coisa do gênero. É fantástico. =)

P.P.S. Eu achei EXTREMAMENTE PREOCUPANTE a maneira como aqueles idiotas do Melhores do Mundo (grupo de teatro brasiliense que, se bem me lembro, um dia já foi engraçado) falam da Venezuela e do povo venezuelano na estréia do terrível quadro "Central de Boatos" do Fantástico. Se toda brincadeira tem fundo de verdade, a verdade no fundo das piadas dos caras parece ser uma só: vamos, brincando, jogar todo mundo contra nossos vizinhos latinos mais radicais. Tio Sam e "brimo" Mainardi devem ter achado engraçado.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Tirando a camisinha do armário.

A campanha da Olla voltada para o público gay ficou bem bacana. Além de produzirem aquele que -- na minha humilde opinião de usuário -- é o melhor preservativo do Brasil, agora mostraram que também sabem (ou ao menos tentam honestamente) agradar e respeitar todos os públicos, de todos os lados do arco-íris.

É claro que prevejo que alguns machões possam se incomodar com a campanha, e com a idéia de usarem o mesmo produto que os gays -- o que poderia não ser ainda óbvio em suas machonas cabeças. Mas, como diz minha companheira, "cada um com seus pobrema". A campanha da Olla mostra a firmeza (opa!) da empresa em fazer o seu papel de fazer e vender camisinhas de qualidade para todos que querem (e deveriam, indiferente de gosto ou da natureza de seu tesão!) usá-las. Isso também é bacana.



Assumir é um verbo bom.
Assumir um filho.
Assumir a responsabilidade.
Assumir a culpa.
Assumir um cargo.
Assumir um compromisso.

Ou, simplesmente, assumir.

As fotos são legais, os textos no mínimo razoáveis, e a iniciativa -- mesmo que um tanto tardia -- é no mínimo louvável. Um brinde à Olla.

A dica foi do BHY, que escreve este blogue bem bacana.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

E o que anda falando o Global Voices em Português?

Uma rápida passagem pelos destaques da semana até agora no Global Voices em Português...

- Veronica Kohlova escreve sobre como Vladimir Putin prefere usar crianças (que sabe-se lá de onde foram retiradas) como seus cabos eleitoral do que colocá-las (ou deixá-las) nas escolas.

- Hamid Tehrani nos relata sobre as conversas que rolaram na blogosfera persa a respeito da prisão de estudantes iranianos que se envolveram em protestos anti-governo pela liberdade (principalmente das mulheres) e pela democracia.

- Juliana Hotisch fala sobre a Cúpula sobre Meio-Ambiente em Bali, energia nuclear e as opiniões verdes da África, enquanto Paula Góes (Suuuuper Paula!) captura pensamentos lusófonos otimistas sobre a Cúpula Europa-África.

- Paula Góes fala também da vitória do curta digital brasileiro "Laços" no concurso Project:Direct do Youtube, sobre uma foto chocante publicada no blogue PE BodyCount (que observa a segurança pública brasileira) e, por fim mas não sem menos classe, observa o bafon causado causado na lusosfera por uma marca de cerveja portuguesa que resolveu se identificar estupidamente com o segmento "hetero" do mercado.

- Juliana Parra escreve sobre o bafafá na blogosfera colombiana envolvendo o uso indevido em jornais e revistas de imagens licenciadas em Creative Commons. Este assunto ainda vai dar o que falar por aí.


Estas e mais outras você lê por aí na blogosfera, ou no Global Voices em Português.

Mas hein?

Eu sempre fico abismado com a televisão brasileira...


"Em Janeiro tem Lula?

Não.

Tem Lola."



Alguém me explica que diabo é isso?

te dou um dado.

Aproximadamente 40% dos spam-comments que recuso diariamente no Global Voices em Português são anúncios (uns mais criativos que os outros) de Viagra.

Isso pode até ser comum nestes tempos internéticos mas, alguém além de mim acha isso bizarro?


Disclaimer:
Te dou um dado é uma pérola de Luciana Gimenez capturada pelo olhar ferino do pessoal do blogue homônimo Te dou um dado.

César Cardoso distribui tapas na cara da blogosfera...

César Cardoso distribui com ferina porém humilde fartura alguns tapas na cara da web2.0 e da blogosfera em seu blogue. Este blogueiro que vos escreve não podia deixar passar...

De The amorality of Web 2.0:

I’m all for blogs and blogging. (I’m writing this, ain’t I?) But I’m not blind to the limitations and the flaws of the blogosphere - its superficiality, its emphasis on opinion over reporting, its echolalia, its tendency to reinforce rather than challenge ideological extremism and segregation. Now, all the same criticisms can (and should) be hurled at segments of the mainstream media.

De McLuhan’s web:

McLuhan understood that as media become more interactive, they also become more potent tools for manipulation. They not only transmit information to us but gather information about us. In anticipating the Internet, McLuhan sounded a warning as much as a welcome.


Estas e outras pérolas dos tapas na cara do pensador da web você lê aqui. Portanto, depois de ler tudo que te interessa por aqui, por quê não vai lá ver?


UPDATE:

Em tempo, os "tapas na cara" foram dados por Nicholas Carr e ecoados pelo César. É melhor eu deixar isso claro antes que o Cesão resolva me dar uns tapas...

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Cúpula Europa-África: não é bem assim...

Há quem diga que a Cúpula Europa-África foi um sucesso mas, pelo visto, a coisa não foi tão simples assim (e não mesmo!).

De qualquer forma, depois de toda a exploração européia sofrida (nos últimos cinco séculos e até os dias atuais) pelo continente africano, não vai ser uma reunião pomposa organizada pelos europeus pagando de bonzinhos que vai resolver o problema (e não importa o que o Sócrates, o ministro português, acredite).

Não posso dizer que saiba sobre o assunto, mas desconfio que o buraco é mais embaixo.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Sunset to sunrise...

Com o sol nascendo do lado de fora da minha janela e a Fionna (minha gata branca compulsiva) 'miandogritando' por comida na cozinha, termino mais uma jornada de trabalho em horário vampírico. Minha cama já está cantando "vem, vem, vem", mas resolví dar as caras por aqui para que meus 8 leitores acreditem que sou um blogueiro dedicado.

Ainda resta muito trabalho a fazer, como sempre, mas ao menos conseguí adiantar as coisas. Quanto aos posts que PRETENDIA fazer nesta madrugada, parece que terão que esperar até a próxima...

Como última notícia da madrugada, soube pelo blogue do meu colega overmundano (e agora colega de trabalho) Fernando Mafra -- aquele que não é carioca -- que meu nome já aparece junto ao dele e o da ilustre Marimoon lá embaixo da página de atrações do Campus Party 2008. É... é isso mesmo... fui chamado para blogar sobre o evento. Falo mais sobre isso depois, quando tiver algo a dizer.

Por hora, vou ouvir o chamado da minha cama.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Lista de compras...

- um teclado novo.
- mais um pacote com 10 maços de Hollywood.
- dois pneus novos para o Brutus.
- 10kg de disciplina.
- um cérebro novo.
- 3 horas extras para o dia.


é...

P.S. A Patinha, mergulhada no parto de sua monografia, também pediu um cérebro novo.

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Esta semana no Global Voices em Português?

Na semana passada rolou (e eu acabei não blogando a respeito), uma dica bacana sobre a blogada do Lou Gold sobre como a Terra Preta (ou "Biochar", como os gringos a chamam) pode ser a solução para o aquecimento global.

Já nesta semana, temos o artigo da Paula Góes sobre a matéria da Veja ("revista você escolha bem ou, Veja bem!") que deu o que falar (sobretudo sobre jornalismo marrom) no blogue do Pedro Dória e em outros bons e maus cantos da blogosfera brasileira.

Além disso tivemos um artigo sobre o direito a voto dos expatriados angolanos, e outro sobre como fazer uma Constituição nada democrática (na Bolívia), e mais outro sobre as divagações dos blogueiros da Peace Corps em Burkina Faso (sobre galinhas e crianças irritantes, o peso de se carregar um balde de água e coisas afins).

Depois disso, descobrimos o que é uma Radiocicleta (e outras idéias mirabolantes porém bacanas da galera conectada da Colômbia) e também sobre o que o YouTube acha inapropriado de se publicar (e prefere apagar).

Temos também artigos sobre um blogueiro preso por motivos políticos no Irã e sobre a censura governamental sobre a internet na Síria.

Por fim temos boas notícias, como a prorrogação dos prazos de inscrição para micro-financiamentos do Rising Voices e duas boas sacadas, uma sobre blogagem social no Natal e outra sobre um manifesto bem humorado (e que pode render uma boa diversão) sobre a Guerra no Rio de Janeiro.

Ufa... é um bocado de coisa.
Porquê vocês não passam lá para dar uma olhada?

Abraços do Verde.

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

A ONU concluiu que a tortura é sistemática em prisões brasileiras...

ONU: Tortura é sistemática em prisões do Brasil

Será que eles chegaram a esta genial conclusão sozinhos?

Estou abismado (no sentido de "no fundo do abismo", olhando os pássaros darem cabeçadas nas paredes...)

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Global Voices em Português citado na Folha.

A Paulinha Góes escreveu a matéria original, traduziu e deu a dica (e ainda blogou a respeito):
O Global Voices em Português foi citado na coluna Toda Mídia (lamentavelmente fechada só para assinantes), escrita por Nélson de Sá na Folha de Sâo Paulo:





Não é para menos. A matéria da Paula está mesmo muito boa, e muito bem ilustrada pelas fotos de Iberê Tenório (uma das quais até apareceu na citação da Folha).

Parabéns pra Paula, e pra toda a equipe do Global Voices em Português!


UPDATE:
Mais boas notícias. Nos últimos 2 dias os acessos ao Global Voices em Português subiram em quase 50%. É claro que isso não se deve só à citação na Folha (de fato, o número de referals advindos de lá nem é tão grande assim), mas sobretudo ao excelente trabalho da equipe. É demais dar parabéns à equipe duas vezes no mesmo post? :)

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

É conversando que a gente se entende, não?

Segundo a BBC, há uma língua nativa em risco de extinção no México porque seus dois últimos falantes -- dois senhores na casa dos setenta anos moradores da vila de Ayapan, em Tabasco -- pararam de se falar. Ao que parece a briga tem motivos pessoais, mas membros do Instituto Mexicano para Linguas Nativas estão preocupados com os desdobramentos desta ruptura.

Não basta falar a mesma língua. Tem que saber conversar.
Desejo boa sorte, e entendimento, aos distintos senhores de Ayapan.

A orquestra dos legumes e a Divina Comédia "óperaróqui"...

Se na Áustria tem gente fazendo música clássica com legumes, nas terras sapequinhas do Vaticano tem partidários do "padremarcelismo" pensando em fazer uma ópera-rock com a Divina Comédia.

Êeee Goiás travado! Ai, oioi!

domingo, 18 de novembro de 2007

enquanto isso no Global Voices em Português...

Enquanto as "tropas de elite" de Recife entram numas de incorporar a turma do Capitão Nascimento e cantar aquela (agora novamente famosa) música do Tihuana enquanto invadem um presídio rebelado (veja aqui), Sami Ben Gharbia fala sobre o mapeamento da censura na internet e Luis Carlos Diaz comenta os prolongamentos blogosféricos da "crise do calaboca" (que, pelo visto, ainda não morreu).

A super Paula Góes nos apresenta com duas matérias bem bacanas. A primeira delas fala sobre a censura da foto de Rogéria, ícone transexual e da luta pelos direitos de gays, lésbicas e transexuais, em uma exposição de fotografias realizada no Congresso. Seria mera hipocrisia, ou uma boa dose de preconceito? A segunda matéria aponta para a discussão que rola na blogosfera lusófona sobre o racismo no Brasil. Vale a pena ler.

Por fim, tem dica sobre a cobertura do Blogcamp BH feita pelo Ronaldo Ferraz, do Superfície Reflexiva.

E por falar em ridículo...

O xará Daniel Cariello continua nos contando em seu blogue suas aventuras e desventuras ridículas porém inspiradoras na "terra do fromage" (que porventura vem a ser Paris, ou assim parece ser).

O destaque é o post sobre a aventura de se encarar (sem querer) as pessoas no metrô, mas o post sobre o passeio de bicicleta na chuva e no frio também vale a leitura.

Abraços do Verde procê, xará Parisienne! :)

o ridículo televisivo nosso de cada dia...

Toda vez que eu paro em frente a uma televisão por mais de 10 minutos, me assalta novamente a vontade de montar um blogue só para comentar o ridículo televisivo que nos é presenteado todos os dias pelos canais abertos de tevê (e pelos canais fechados de "tevêacábo" também).



A idéia é da Patinha (minha companheira de olhos de águia e, até onde sei, a única pessoa a ver a pagada de peitinho da Ivete Sangalo no Faustão), mas cada vez mais acho que ia ser uma brincadeira no mínimo interessante.

Se eu encontrar um tempinho no trabalho e ela na feitura da monografia, a gente dá à luz este tal blogue. É claro que um estímulo dos leitores pode ajudar. :)

Calaboca (ainda) não morreu?

O calaboca proferido pelo Rei da Espanha e não obedecido por Hugo Chávez tem dado o que falar.

De um lado tem gente elogiando o velho Rei por ter dido na cara do ditador "aquilo que ele precisava ouvir". Por outro, tem gente vendo na atitude do Rei, e na 'postura revolucionária' de Chávez em não calar a boca, exemplos simbólicos da dominação espanhola sobre a América Latina.

Mas as coisas mais interessantes de se ver sobre o assunto são o vídeo do babado e o post de José Roberto Duque que mostra o quanto El Rey sabe lidar com tiranos.

Para completar a palhaçada, Carlos Andrés Perez, ex-presidente da Venezuela, escreveu ao Rei da Espanha pedindo desculpas pelo incidente. Tem gente que não perde uma chance de calar a boca, não é mesmo?

No fim das contas, fico pensando se as pessoas não tem nada mais importante a pensar e fazer do que ficar comentando ad infinitum a respeito do episódio e encontrando mil significados mirabolantes nele. Quando é que o calaboca vai morrer?

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Você conhece este menino?

"Em nov de 2005, foi encontrado na rua, uma criança de aproximadamente 2 anos muito bem cuidada e muito bem vestida, que disse se chamar Tiago.
Levado ao juizado,foi encaminhado ao 'Nosso Lar', onde trabalho.
Temos informações de que diligências foram feitas na região onde a criança foi encontrada, e nada. Todas as delegacias notificadas,e nada. Não foi possível nenhum tipo de informação dessa criança. Como o tempo está passando, ela logo será encaminhada para adoção, mas não acredito que ela não tenha ninguém nesse mundo, pois quando ele chegou chorava muito e apresentava bons costumes. Já tentei com um amigo na Globo veicular a sua imagem, na tentativa de localizarmos a sua família, mas não é possível pois a política da Globo não permite a divulgação de crianças desaparecidas, o que não é o caso, pois essa é'aparecida'."
(Foto e texto recebidos em email de Soraya Pereira, Presidente do Projeto Aconchego, que me foi repassado por uma amiga)


Se você conhece o moleque, entre em contato com Soraya Pereira ou com o pessoal do Projeto Aconchego através do site do projeto ou por email.

Se você não conhece, não custa nada divulgar a foto. Vai que com isso você ajuda os pais do menino a encontrá-lo. É o tipo de coisa que custa pouco para nós e talvez valha muito para alguém.

Ei mamãe!

Hoje completam-se 21 anos que dona Clotilde, minha mãe, foi passear por outras paragens.

Valeu por tudo, mãe. Divirta-se por aí.

Fodinhas quentes...

Bicarato deu com gosto em seu Alfarrábio as Fodinhas d'Além-Mar.
E este blogueiro que vos escreve não podia deixar de mostrar...


(clique para ampliar)

Serão gostosas estas fodinhas?


p.s. Para quem não sabe (e eu também não sabia), "Fodinhas" são "pataniscas de bacalhau" geralmente acompanhadas por "putinhas" segundo este texto do grupo de discussão "Monarquia Tradicional". Cousas de Portugal. =)

Bons dias...

Você sabe que está vivendo finais de semana realmente muito bons quando você só consegue "pousar" novamente na terra no final da terça-feira. Muito bom, muito bem...

O único problema é a quantidade de trabalho atrasado que isto pode acarretar. =)

Mas, tudo bem, agora a gente corre atrás do tempo perdido.
Dizem por aí que a vida foi feita para ser vivida, não é mesmo?

sábado, 10 de novembro de 2007

Sem Limites e sem noção.


Zapeando sem rumo pelos canais da recém instalada televisão que agora se assenta em minha sala de estar (sim, eu me rendí! mas só a ligo quando a Patinha me visita), encontrei um programa de auditório (sem platéia) absolutamente sem noção em um canal que nunca havia visto antes. Nele, uma insólita figura loira, usando um terno que bem poderia ter sido doado a um brechó por Sílvio Santos, falava de amor, paixão e amenidades frente a um cenário ao mesmo tempo brega e espartano. Ao final de sua diatribe, ele anuncia a próxima atração:

- "Agora vamos chamar um dos maiores cantores da música brasileira! Vem aí, Ângelo Máximo!..."

Quem!?

É claro que eu tive que sentar e assistir esta bizarrice.

O ilustre desconhecido Máximo nos presenteou com um de seus maiores sucessos em playback, chamado "Domingo Feliz" (Meu domingo /Alegre vai ser / Pois pretendo sair com você / Ye ye ye que dia feliz / De mãos dadas vamos andar / Muitos beijos iremos trocar / Ye ye ye que dia feliz... (quer mais?))

Foi assim que eu descobrí o programa "Sem Limite", apresentado pelo loiríssimo Raul Freixes (algo assim como um Miguel Falabella magro, sensível e que gosta de rosas), e a recém-lançada Rede Brasil de Televisão. Ao longo dos quarenta minutos de programa que eu assistí (sempre informado do horário por um Freixes que não parava de olhar no relógio), eu e Patinha fomos presenteados com algumas das maiores pérolas da televisão brasileira, como:

- "Ãngelo Máximo é uma pessoa muito talentosa e muito humilde, e muito romântico, e muito talentoso e... muito humilde"

- "Os homens andam fazendo mais coisas em cima de seus carros e motos (sic) do que em cima das mulheres"

- "Muita gente pensa que dar rosas a uma mulher é cafona. Não é. É uma amostra da sensibilidade, do amor e da paixão..."

- "Este é o programa Sem Limite, porque nós aqui não temos limites."

- "A seguir... pela primeira vez na televisão brasileira... um LAGARTO!!"

- Raul: "Professor, existe alguma ligação entre os lagartos e as lagartixas?"
- Entrevistado: "Bem, todos eles tem quatro patas e são répteis."

E a maior pérola:

- "Vejam bem! Pela primeira vez na televisão brasileira... opa... o que ele está fazendo? Ele está fazendo cocô. Pela primeira vez na televisão brasileira, um lagarto fazendo cocô!" (câmera dá um close no momento íntimo do largarto defecando sobre a mesa do apresentador).


Agora que eu descobrí Raul Freixes, Faustão virou passado. Ninguém é tão sem noção quanto o loirão! :D

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Vampiros e EMOs chupadores de sangue?

"O delegado titular do 4DP de Presidente Prudente, Dirceu Gravina, acredita que o acusado seja um psicopata.

- Não sei o quanto de sangue que ele bebeu. Os meninos não querem falar muito, dizem que ele é do bem. O que sei é que as vítimas são da tribo Emo (fã de hardcore com letra romântica, com visual andrógino, que usa maquiagem e gosta de chorar) - afirma."

(da matéria "Lider de seita macabra bebe sangue de 16 adolescentes" do grandioso O Globo)


"Através das informações colhidas pelos adolescentes, a Polícia Civil descobriu que os jovens são adeptos do estilo de vida emo: "são grupos de jovens dissidentes dos darks, que se reúnem sempre à noite, usam maquiagens escuras e carregadas, possuem as franjas cobrindo os olhos, vestem roupas pretas, ouvem o mesmo tipo de música, freqüentam cemitérios e praticam o auto-flagelo. Durante todo o tempo em que ouvimos os adolescentes, eles se beliscavam se furavam com agulhas e evitam ao máximo olhar nos olhos das pessoas", afirma o delegado.

Gravina explica que os adeptos desse grupo, na sua maioria, praticam a psicosexopatia denominada vampirismo: "Nesse caso, a satisfação da libido é alcançada ao sentir o sangue de outra pessoa", relata a autoridade."

(outra pérola, agora da matéria "Polícia ouve jovens sobre o codinome de Wlad Hacamia", do Terra.com)




Pobres EMOs. Agora além do trabalho que tem para manter aqueles cabelos e aqueles fotologs, viraram também pervertidos sexuais chupadores de sangue...

terça-feira, 6 de novembro de 2007

"Estado de Emergência" Paquistani no Global Voices

Para quem ainda não viu, o Global Voices Online está fazendo uma cobertura especial sobre a lei marci... ops... estado de emergência no Paquistão. Se você já sabia da história e quer saber mais, ou mesmo se nem sabia do que estava acontecendo, dá uma passada lá e fique ligado.

Sobre duendes e gatos...

Agora que minha casa é frequentada por uma adorável gata branca, estou tentando descobrir o que comem estes simpáticos seres. É óbvio, ou deveria ser, que eles comem ração felina e carne. Mas o que mais eles comem?

Já sei que eles não comem uvas, nem batatas, nem alho cru (embora ela tenha se animado com o alho frito -- gata de bom gosto!).

Espero que ela continue sabendo caçar por si só. Ao que parece eu não sou muito indicado para arranjar comida para gatos (embora sempre esteja disposto a partilhar meu contra-filé com eles...). =)


p.s. cães-salsicha comem polenta frita. será que gatos também as curtem?

p.p.s. cães-salsicha não comem cream-crackers. por outro lado, ainda tenho que descobrir se gatos comem arroz. :)

Terça-feira com cara de segunda...

A parte mais difícil dos finais de semana inesquecíveis é conseguir engatar novamente a 'primeira marcha' na segunda... err... terça-feira. :)

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Ligeiramente incomunicável...

Nâo consegui acessar o Gmail durante todo o dia. O site simplesmente não carrega. Acredito que seja algum problema no meu navegador, mas ainda não consegui descobrir o que é.

De qualquer forma, o que importa é a desagradável sensação de estar meio incomunicável -- sem poder ler email nem acessar o gmail-talk. Meu trabalho, acumulado pela viagem, está se acumulando mais ainda já que não consigo acessar meus grupos de trabalho...

Bem... é a vida. Se não consigo trabalhar, faço o que posso e depois aproveito para descansar. Espero que o Gmail volte a funcionar na minha máquina em breve...


UPDATE:
Foi só escrever um post a respeito que meu gmail voltou, misteriosamente, a funcionar no final do dia. Agora é colocar todos os emails recebidos durante a viagem em dia...

Vejo um bocado de trabalho pela frente.

what da hell!?

- corujas rosnam?
- é claro que não, duende!
- então eu ví um pug voando. =D


--
Daniel Duende Carvalho
* http://newalriadaexpress.blogspot.com
* http://cadernodocluracao.blogspot.com

domingo, 28 de outubro de 2007

o mar...

o mar está sempre vivo.

o mar tem mojo.

--
Daniel Duende Carvalho
* http://newalriadaexpress.blogspot.com
* http://cadernodocluracao.blogspot.com

cariocas...

apontei meu nariz pecilotérmico para as ruas burguesas de ipanema e
pensei: "ipanema parece uma salada verde com croutons".

enquanto escrevo, realizo sonhos cariocas no museu de cidade da urca.

não amo o rio, mas amo estar aqui. estou vivo e bebado em frente às
ruínas do velho cassino.
a vida encanta.

--
Daniel Duende Carvalho
* http://newalriadaexpress.blogspot.com
* http://cadernodocluracao.blogspot.com

terça-feira, 23 de outubro de 2007

para variar...

para variar, os vôos estão todos atrasados hoje no aeroporto de
brasília. pela cara dos atendentes, o caos deve estar grande por aí.

que os deuses nos protejam.

--
Daniel Duende Carvalho
* http://newalriadaexpress.blogspot.com
* http://cadernodocluracao.blogspot.com

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Duende no Rio

Estou indo para o Rio de Janeiro amanhã para passear, ver uns lances de trampo, visitar a família, passar um tempinho rodando pelos meus sebos queridos, tomar umas devassas e tentar assistir ao show da Feist no Tim Festival. Não sei o quanto estarei acessível online estes dias, mas vou tentar checar meus emails vez ou outra.

Devo estar de volta no dia 29 de outubro.

Abraços do Verde

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Campanha: dê um bichinho de pelúcia bizarro para o Duende

Meu aniversário está chegando. Quem é que vai me dar um Cthulhu ou um Dragão de pelúcia de presente?

(Já vou ganhar o Chtulhu...
weeeeeeee!)


Agora só faltam os dragões. Alguém se habilita? :)








Sim. Eu estou falando sério. :)

Clique nas imagens para ver o preço e onde comprar.

Estes canibais...

(a dica foi do AINN)

O canibal gourmet alemão...

"[...]O caso veio à tona em dezembro de 2002, e os detalhes escabrosos foram manchetes em todo o mundo. Meiwes filmou a si próprio matando, tirando as vísceras e cortando em pedaços o cadáver do engenheiro de computação Bernd Brandes, de 42 anos, que ele havia conhecido através de mensagens postadas em salas de bate-papo, procurando "homem para massacre".

"Sim, gente que não consegue entrar nesta história acha monstruoso. Mas eu sou um ser humano normal em princípio", ele disse a seu entrevistador, Gunter Stampf, que escreveu o livro "Entrevista com um Canibal", baseado em 30 encontros que teve com Meiwes na prisão. As entrevistas foram aprovadas pela corte distrital de Frankfurt que o condenou.

"Eu salguei o filé de Bernd com sal, pimenta, alho e noz-moscada. Comi ele com croquetes "princesa", couve de Bruxelas e molho de pimentão verde" disse Meiwes. A carne era um pouco dura, acrescentou. Ele congelou porções de Brandes, algumas em forma de carne picada, e comeu mais de 20 quilos dela nos meses subseqüentes ao assassinato, ocorrido em março de 2001.[...]"
(Na prisão, canibal alemão dá entrevista e diz ser normal no G1)

E o escritor canibal mexicano...
"As autoridades mexicanas confirmaram, nesta segunda-feira (15), a presença de carne humana no prato de um escritor de romances de terror, preso na semana passada na capital mexicana quando tentava fugir da polícia.

José Luis Calva Zepeda foi detido casualmente pela polícia, que investigava o desaparecimento da namorada do suposto homicida.

Ao perceber a chegada das autoridades, Calva Zepeda tentou fugir saltando da varanda de seu apartamento, no bairro de Guerrero.

No entanto, o escritor ficou gravemente ferido e acabou sendo detido pela polícia, que encontrou o corpo esquartejado de Alejandra Galeana Garavito, de 30 anos, mãe de dois filhos e namorada de Calva Zepeda, além de restos de carne frita em uma frigideira, um prato e um garfo.

Nesta segunda-feira, o policial Gustavo Salas e o médico Rodolfo Rojo, coordenador dos Serviços Periciais, confirmaram que a carne na frigideira era humana e que se tratava de um músculo que pertencia ao antebraço da vítima.

Mesmo assim, segundo Salas, as evidências encontradas no apartamento de Calva Zepeda "justificam totalmente a hipótese de que ele comeu carne humana".

As autoridades também informaram que Calva Zepeda está ligado a outros dois crimes que aconteceram em circunstâncias parecidas.

No apartamento do escritor, a polícia achou um romance inacabado intitulado "Instintos Canibais ou 12 Dias" (em tradução livre), centrado na antropofagia, no sexo e no sadomasoquismo.[...]"
(Polícia mexicana encontra carne humana em casa de escritor no G1)

Eu me lembro de ter lido um livro de receitas na casa de minha tia-avó que continha receitas de carne humana. Era um velho livro de culinária mineira que transcrevia receitas tradicionais dos séculos XVIII e XIX. Eu achava bizarro, mas confesso que fiquei até curioso pra saber se era mesmo costume comer carne humana na Minas Gerais escravagista, e que gosto ela tinha.

Afora todas as considerações éticas, morais e penais de se comer carne humana, fico tentando entender o que estes caras pensam. E, eu confesso, fico curioso pra saber se é maluquice da cabeça deles ou se a carne humana tem mesmo gosto agradável. Deve depender do tempero, como bem nos mostrou o gourmet alemão. E se depende do tempero, ainda prefiro comer um bom porquinho, que não dá cadeia e satisfaz. :)


DISCLAIMER:
O blogueiro que vos escreve não tem o menor desejo de comer carne humana, mas é um curioso patológico sobre qualquer tema esdrúxulo que se apresente a ele. Posto isso, é claro que se alguém come carne humana, o blogueiro que vos escreve fica curioso a respeito do gosto e, principalmente, do "por quê de se comer carne humana".

terça-feira, 16 de outubro de 2007

"méans lóngerêi"



Como disse a Patinha (que me deu a dica do vídeo),"Ainda existem bons publicitários no mundo". Eu só posso concordar. A propaganda é engraçadíssima e bem sacada, e o sotaque do sujeito é tudibão! :D

voltando ao ritmo de trabalho

Depois da viagem (com seus altos e baixos), é hora de tentar sacudir as dores no corpo e o cansaço e voltar ao ritmo de trabalho. Tenho umas dezenas de artigos traduzidos para o GVP para revisar, mais dezenas de emails para ler e no mínimo 2 artigos que precisam ser escritos ainda esta semana para o Overmundo.

Lá vamos nós.
Que os Deuses nos abençoem (e levem essa maldita dor de cabeça embora!).

Viação Itapemirim: ônibus quebrados e motoristas despreparados.

Aproveitando a deixa, vamos falar de algumas das cagadas cometidas pela Viação Itapemirim nesta minha viagem a BH.

Antes de mais nada, parece que os motoristas que eles contratam para a rota Brasília-Belo Horizonte são contratados apenas para dirigir, e não para se comunicar. Por mais que se tente, não é possível conseguir informações ou muito menos um sorriso deles. Além disso, o motorista que dirigia o ônibus na ida não sabia operar o ar condicionado do ônibus e o nosso (zuretíssimo) motorista da volta não sabia dirigir em linha reta e mentiu descaradamente sobre as condiçôes de viagem do ônibus que dirigia. Quando perguntamos para ele, logo que o nosso ônibus quebrou no meio da estrada, se aquele ônibus já estava dando defeito antes, ele disse categoricamente que não -- para ser logo desmentido por dois passageiros que afirmaram que aquele mesmo ônibus havia quebrado 2 vezes no dia anterior. Mas não me importo tanto de ter um motorista mentioroso quanto em pagar mais de cem reais para viajar em um ônibus com defeito. A culpa não é do zuretíssimo senhor, e sim do chefe dele.

E chegamos então ao episódio da quebra do ônibus. Além do desconforto de esperar mais de 40 minutos na beira da estrada por um "ônibus de apoio" que estava -- segundo nosso zuretíssimo condutor -- "logo alí", ainda fomos embarcados em um ônibus velho com os assentos ainda mais mequetrefes do que o anterior (que já eram bem ruins), o que tornou as 11 horas de viagem quase em um suplício. Mas tudo seria bem suportável se o motorista, aquele zuretíssimo senhor, soubesse dirigir em linha reta. Mas não, ele não sabia. Ziquezagueou a viagem toda, tirando finos dos ônibus que vinham na direção contrária e ora dirigindo depressa demais, ora dirigindo tão devagar que pensávamos que o ônibus havia quebrado de novo.

Com motoristas, ônibus e atitude empresarial como esta, me surpreende que alguém ainda queira viajar pela Itapemirim. Da próxima vez vou ser um pouco mais organizado e pego um Rota Mineira, e garanto que serei muito mais bem tratado...

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Duende em BH

Vou aproveitar o feriado para dar uma escapadinha para Belo Horizonte com a Patinha. Não conheço ainda a cidade do Metal e do DP (e de tantos outros amigos). Dizem que a cerveja lá é bem barata...
Vai ser divertido, e eu estava mesmo precisando respirar outros ares.

Segunda feira estou de volta.

Abraços do Verde.


UPDATE:
Estou de volta. A viagem foi bem bacana (no melhor clima Snoopy&Woodstock etílicos), e deixou boas lembranças. Mas o ônibus pé duro e o motorista louco da viagem de volta acabaram comigo.

Estou até agora tentando me recuperar física e psicologicamente da experiência de ficar sentado naquele banco absurdamente desconfortável vendo aquele destrambelhado senhor ziguezagueando na pista o tempo todo como se não tivesse o menor controle do ônibus (sem contar com quebra do ônibus no meio da noite).

Da próxima vez, eu sigo a dica do DPadua e compro a passagem com antecedência na Rota Mineira. Itapemirim nunca mais!

Microsoft fecha por sonegação de impostos no Equador.

Direto do Global Voices em Português:

"Um dos mais renomados jornais do Equador publicou uma nota sobre o fechamento da filial local da Microsoft por pelo menos sete dias. Outras empresas equatorianas, como Norberto Odebrecht e a exportadora de banana Noboa também estão sob suspeitas. O motivo pelo qual a Microsoft foi fechada foi que a empresa não informa ou envia informações sobre pagamento de impostos desde fevereiro de 2007.

O SRI (Servicio de Rentas Internas) acusou a empresa de não apresentar as informações solicitadas sobre os impostos em duas ocasiões. Trata-se de parte de uma campanha nacional iniciada por Carlos Carrasco, Diretor dos Serviços Internos de Renda, que revelou que sonegação de impostos está custando cerca de 3 bilhões de dólares, o que representa 28.6% do orçamento nacional planejado para 2008.[...]"

Leia o resto no Global Voices em Português.


Este não é o tipo de notícia que se costuma ver por aí, mas o Global Voices em Português está sempre cheio de notícias que você não encontra em nenhum outro lugar. Vale a pena visitar ou assinar o feed.

domingo, 7 de outubro de 2007

o filho fanfarrão à velha casa torna...

Estou de volta ao Overmundo, com uma matéria para o Guia Overmundo a respeito do Parque Olhos D'Água em Brasília. O nome da matéria é "Parque Olhos D'Água (um retorno)".



Em breve, mais matérias para o Overmundo...

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

GDF estará demitindo o Gerúndio.

Deu no Alfarrábio (e no AINN também):

:: Vamos Estar Detonando o Gerúndio ::

Eis que vou estar conferindo o copoanheiro Adauto pra estar lembrando que o Febeapá tá continuando aí, vivinho da silva. Stanislaw Ponte Preta, pseudônimo do jornalista Sérgio Porto, viveu tendo a certeza de que nunca devemos estar subestimando a capacidade de o ser humano de estar cometendo asneiras. Pois então, taí mais uma prova, fresquinha, da lavra do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda. Eu tinha visto no Ryff, mas até estava achando que era boato. Mas o Hermê fez o favor de estar escaneando e estar botando no ar (roubei a imagem dele, sim).

Isso é que é estar detonando o gerúndio

Um brinde, caro Stanislaw.


Não estarei dizendo mais nada. A piada está(rá?) pronta.

P.S. no link do thread do AINN você estará vendo a imagem da tela da lei no site da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão do DF.

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Ignorância?

Direto do Global Voices em Português (com tradução de Paula Góes):

"Mahmud Ahmadinejad, presidente do Irã, disse na Universidade de Columbia: “nós não temos homossexuais no Irã como vocês dos outros países têm”. Assista ao vídeo"

O que será que ele quis dizer com isso, e o que isso significa?

Eu acho isso muito tenso.


UPDATE - 03/10/2007

Por outro lado...

"IranianTruth nos informa sobre um vídeo a respeito da “transexualidade no Irã” feito por Yasmin Vossoughian e Kouross Esmaeli."

(texto original de Hamid Tehrami, tradução da Paulíssima Góes)


Esta notinha também veio do Global Voices em Português.

E foi lá que eu descobrí que, já que a transexualidade não figura no Corão como um pecado (de fato, ela não figura de forma alguma na escritura), ela não é considerada uma aberração a deus aos olhos do religioso governo iraniano. Muito lógico, no mínimo.

Updating...

O quarto continua uma bagunça,
mas ao menos a cabeça está novamente
dançando junto ao coração.

Isso já é muita coisa.

Isso também é fundamental.

sábado, 22 de setembro de 2007

Loose Change legendado em Português.

Passei um bocado de tempo procurando a versão legendada deste documentário. Agora que achei, publico-a aqui:



Para quem não conhece, Loose Change é um documentário que fala sobre a farsa do ataque de 11 de setembro de 2001 nos EUA, e sobre a grande conspiração do qual esta farsa fez parte -- uma das muitas conspirações engendradas pelos EUA para aumentar e manter seu poder sobre a política e economia globais.

Se você ainda não viu, deveria ver (mesmo que apenas para criticar). Se já viu e queria uma versão legendada para apresentar para aqueles que não são doidos o bastante para entender o ipsi-literis anglo saxão, aí está.

Abraços do Verde.

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Colocando ordem na casa

De vez em quando a gente decide que é hora de "colocar ordem na casa". Gente distraída (alguns diriam "relapsa e desorganizada") como eu por vezes consegue juntar em seu quarto, ou em qualquer ambiente que vive, uma montanha de bagunça.

Dizem que arrumar o quarto e a casa são coisas que ajudam a ajeitar a cabeça. A se tirar pelo estado do meu quarto (foto abaixo), minha cabeça também deve estar precisando de um bocado de arrumação.


as caixas da foto são ainda uma parte das coisas empacotadas
quando desmontei o ninho dos escorpiões. metade das caixas
ainda está no ninho. (eu as busco assim que tiver espaço para
colocá-las, meu caríssimo e paciente amigo Emerson!)


Mas a coisa é simples. Um dia você acorda e diz "agora vou dar jeito nisso".
E então, você faz.

Está na hora de começar a ajeitar meu quarto, e todas as outras coisas que precisam de arrumação. Acho que está na hora de voltar a meus blogues também.

Boa sorte para mim, e para todos nós. :)

"The most effective way to do it, is to do it."
Amelia Earhart

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Desabafo.

Eu ainda me impressiono com a ignorância e com a filha-da-putisse humana.
Devo ser um inocente. Estas coisas devem, então, ser normais...

...mas nunca deveriam tê-lo sido.

Conversas: Sobre o (mau) uso político da Wikipedia...

Um papo de GmailTalk que ficou interessante...

3:21 PM
Rodrigo: bacana, nao sei se tem relacao a seu trampo, mas como fica a questao da wikipedia, com essas acusacoes de alteracao de conteudo por parte de grupos economicos/sociais ?
me: Bem... não tem a ver diretamente com o meu trampo, embora as implicações indiretas sejam grandes.
o GVO e a Wikipedia funcionam de forma um bocado diferente,
mas usamos conteudo da WP de vez em quando.
3:22 PM E estas acusações fazem sentido. é um problema que eventualmente aconteceria quando se fala de uma plataforma de colaboração aberta e anônima -- o do uso político deste espaço livre.
3:23 PM acho bem possível que as acusações sejam verdadeiras, mas acho tb que é possível que haja um interesse "desleal" do pessoal das outras enciclopédias não livres em "pixar" a Wikipedia, que tá "roubando" mercado delas.
em suma. é complicado....
Rodrigo: ve alguma saida, para a situacao ?
me: e é um grande teste para a comunidade da WikiPedia, mas eu acredito que eles conseguirão vencer este desafio também, como venceram outros desafios que apareceram no passado.
há saídas sim.
3:24 PM algumas delas dão alguns passos para longe da proposta "aberta e livre", outras são mais complexas...
acho que um passo natural e imediato seria assumir um maior controle sobre quem altera os conteúdos, e se ter uma maior vigilância para tentar evitar estes casos.
3:25 PM mas em última instância, vc sabe tão bem quanto eu que a imparcialidade é uma falácia.
Rodrigo: mas tirar a proposta eh igual assumir que nao rola um ambiente assim, livre. Visto que a propria comunidade, estraga.
me: Sempre haverá um viés, e todo viés é inerentemente valorativo, moral e político.
Rodrigo: (e deve ser)
me: Bem. Eu acho que recuar não é assumir que não é possível ter uma comunidade aberta.
3:26 PM Trata-se apenas de assuir que isso não é fácil, e que é necessário um maior amadurecimento do projeto.
e é claro que a comunidade ESTRAGA na mesma medida que a comunidade também FAZ a wikipedia. Lidar com gente não é fácil.
muitos idealistas da cultura livre se esquecem disso.
minha experiencia no Overmundo me ensinou que lidar com gente vale a pena, mas é uma das coisas mais dificeis que existe.
é coisa para profissionais.
3:27 PM demanda experiencia, prática, método, e muito bom senso.
Rodrigo: sem falar da paciencia.
me: vale a pena a luta pra fazer funcionar, mas é dolorosa, longa e meio frustrante às vezes.
sim... muuuuuuita paciencia.
Rodrigo: mesmo pq as mudancas nao sao imediatas
me: isso mesmo.
logo, os otimistas patológicos podem estar meio melindrados pelo fato das coisas não serem tão simples.
3:28 PM e os pessimistas podem estar felizes com os tropeços da Wikipedia.
mas eu vejo que este é apenas um processo normal de amadurecimento, que não só é um grande estudo de caso a ser contemplado por todo mundo que é do ramo, como também é uma excelente experiência.
3:29 PM em suma... tudo está bem, mesmo que esteja fedendo um pouco agora. :)

curtas (para desenferrujar o blogueiro em mim)

- Dia 31 foi o BlogDay. O Uirá lembrou de mim (e também lembrou ao metal de que ele tem um blogue técnico). Fiquei feliz de ver o Alriada lembrado junto com seu irmão-psíquico mais velho, o excelente Alfarrábio do copoanheiro Bicarato (saudades, bica!). Coisas assim me fazem me sentir um pouco mais blogueiro de novo (ainda mais depois que o Uirá também ecoou este post aqui). :)

- Enquanto isso, tem gente no CMI ficando melindrada com a (boa) consideração que o pessoal do Ministério da Cultura tem com eles. Invariavelmente isso me faz lembrar dos revoltadinhos sem causa que conheci em meu segundo grau. Ninguém podia gostar deles, se não eles não eram "revoltados o bastante". Boa sorte pro CMI. :)

- Aproveitando a deixa, o Global Voices em Português está cada vez mais movimentado (e ganhando novos colaboradores a cada dia). Dá muito gosto de ver!

Por hora é isso. Espero voltar em breve com mais (e melhores) coisas a dizer.


UPDATE:
E por falar no Blógue-Day, o Alriada também foi citado no Navalha Infame, junto com o excelente Sabedoria de Improviso da Czarina. :)

domingo, 26 de agosto de 2007

Mais repercussão da campanha do Estadão

Direto dos comentários à matéria do Zé Murilo no Global Voices Online, traduzida no Global Voices em Português:

4 Responses to “Brasil: Campanha publicitária compara blogueiros a macacos”

  1. Daniel Duende Diz:

    O Felipe Tofani, do pristina.org, publicou uma defesa da campanha publicitária do Estadão, escrita por João Livi da agência Talent (responsável pela campanha em questão).

  2. Luana Selva Diz:

    Eu acho a campanha do Estadão pertinente, engraçada, bem feita e não vi crítica aos blogues e sim a alguns blogues e outrois veículos de informação dentro da web. Todo mundo sabe quem na internet se deve filtrar a fonte de seus dados e foi só isso que a agência quis mostrar, ainda mais porque o Estadão tem muitos blogues, não está atrás nessa questão de mídia de internet e não teria como fomentar uma discussão entre jornalismo informal e formal. Acho que fizeram tempestade em copo d’água e viram o que não havia nessas campanhas.

    Eu, por sinal, adoro a do cara que escreve sobre comportamento e psicologia, achei hilária …

  3. Paula Góes Diz:

    Fomos citados:

    “Em outros blogs, como o Global Voices Online, a campanha do estadao.com.br é identificada como tática com a finalidade de aumentar o tráfego no portal do jornal: “É óbvio que a estratégia de marketing do Estadão estava contando com o barulho que os blogueiros iriam fazer a respeito dos anúncios para alcançar os seus objetivos, e os blogueiros certamente estavam entre aqueles que induziram as pessoas a visitar o novo site do jornal. Por outro lado, alguns blogueiros acham que inflamar a discussão entre blogs e a mídia tradicional neste momento pode ser uma má idéia, enquanto outros acham melhor entrar na brincadeira.”

    http://www.estadao.com.br/economia/not_eco38340,0.htm

  4. Daniel Duende Diz:

    E o José Murilo, autor da matéria acima e Editor de Lingua Portuguesa do Global Voices Online, escreveu em seu blogue uma resposta para a matéria do Estadão.

    Além da resposta lúcida e interessante, Murilo também dá alguns bons conselhos sobre a blogosfera para o pessoal do Estadão:

    “1 - A rede são os links e os links são a rede, como bem lembrado pelo colega wainermartins, e portanto falar da blogosfera sem linkar é falta de respeito. E lembre-se que blogueiros redigem em hipertexto, portanto, seção de comentários sem links trata-se de interface defeituosa.

    2 - Esqueça a web 2.0 e se ligue na web ao vivo. Esta é a rede que pode ser descrita através de verbos como escrever, ler, atualizar, postar, editar, assinar, taguear, sindicar, xemelizar e linkar. A web ao vivo está sendo construída por sobre a web estática, a qual se traduz em substantivos como website, endereço, localização, tráfego, arquitetura e construção. A web ao vivo é esta acontecendo agora, de forma dinâmica, e compreende o conteúdo que pode ser encontrado via Technorati e Google BlogSearch (esqueça o google padrão), máquinas que irão indexar em minutos o que estou postando aqui, e o que outros postarão sobre estes meus ‘dois palitos’ nesta conversa.

    3 - Esta vem do Código Aberto: “A notícia está deixando de ser um produto para se transformar no ponto de partida de um processo, que começa com os jornalistas, que depois cedem o papel principal para os leitores. Os profissionais deixam de ser os donos da notícia.” Eu diria: não pense em blogueiros como produtores de ‘conteúdo’. Não encaro o meu ato de blogar como produção de informação para ser consumida por outros, e sim como escritos que podem vir a informar outros interessados. Digo ‘informar’ neste sentido mais básico de ‘formar’, alargar o espaço interno que define a minha humanidade: aquilo que eu sei. Autoridade na blogosfera é o direito que eu concedo a outros de me informar, de alargar os horizontes do que conheço. Nesta ecologia, reputação é tudo. E o ‘Bruno’ é bemvindo.”

    Vale a pena visitar a matéria do Murilão para ver a conversa inteira.


E segue a conversa...

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Contrastes...

Para encerrar o dia...

Descendentes dos canibais de Papua Nova Guiné que comeram quatro missionários cristãos fijianos em 1878 pediram desculpas pelo ato de seus ancestrais a um alto representante do governo de Fiji.

Até onde sei, nenhum representante de Fiji ou descendente do Rev. George Brown pediu desculpas ao povo de Papua Nova Guiné pelo massacre de nativos, com a participação do próprio heróico reverendo, que se seguiu à morte dos missionários.

Prefiro nem comentar nada.

Algumas boas novas sobre o Global Voices em Português.

Mas não foi apenas de reflexões e soul-searching que foram feitas minhas últimas semanas. Entre as muitas coisas boas -- realmente muito boas! -- que andei fazendo nos últimos tempos, está o meu trabalho no Global Voices em Português.

Para quem não sabe, o Global Voices Online (www.globalvoicesonline.org) é um observatório das blogosferas de lugares e um amplificador das vozes das pessoas e grupos que não recebem a devida atenção das mídias tradicionais e de internet, ou são por elas mal representados. Neste trabalho, diversos editores captam o que está sendo assunto nas blogosferas (blogues, flogs, vlogs, podcasts, listas de discussão, etc...) destes lugares e escrevem artigos trazendo estes temas e discussões para o observatório das Vozes Globais. Paralelo ao projeto do Global Voices Online existe o projeto Global Voices Lingua, que se propõe a traduzir e amplificar o conteúdo produzido para o Global Voices Online (cujo material é produzido em inglês) para outras línguas do mundo. São hoje quase 10 os sites do projeto Lingua, e como alguns de vocês já devem saber, estou atualmente coordenando o site que trabalha com a tradução e amplificação do conteúdo para a lingua portuguesa, o Global Voices em Português.

Tem sido bastante bacana trabalhar com a excelente equipe de voluntários que se formou à volta do projeto. A sempre presente (e sempre disposta) Paula Góes e a super animada (e igualmente competente) Luana Selva tem dado um show, encabeçando a lista das maiores tradutoras do site. Mas elas fazem mais do que isso. São também extremamente envolvidas com todo o funcionamento do projeto, dando sugestões, responsabilizando-se pela resolução de problemas e pelo apoio aos colaboradores mais novos e, sobretudo, criando um clima de trabalho muito agradável no grupo de discussão. Sou fã destas minhas colegas!

Mas elas não são as únicas que estão de parabéns (e tornando a experiência de trabalhar com o GV cada dia mais satisfatória): nossos outros colaboradores, Adriana Yamashita, Maria Cristina Rauh e o recém-chegado Hudson, também merecem parabéns pela disposição de colaborar e pelo bom trabalho que já fizeram e que ainda irão fazer. Não posso (nem quero) também deixar de citar o excelente trabalho feito pela Cilene Dutra nos primeiros dias do Global Voices em Português, que foi fundamental nos primeiros dias do projeto. A todos vocês, o meu sincero e feliz muito obrigado!

Hoje o Global Voices em Português não apenas é o site com o maior número de acessos únicos por dia no projeto Lingua (com uma média de mais de 600 por dia, o que é muito para um site com efetivamente 2 meses de vida e ainda no começo de seu crescimento), mas é também um site que apresenta para o público lusófono a variedade de notícias e olhares que o Global Voices Online representa em seu site original para o público anglófono, com uma crescente qualidade de tradução e formatação. Estamos ainda começando, mas estamos orgulhosos de nosso trabalho.

Se você estiver interessado em colaborar com o projeto Global Voices em Português, traduzindo matérias ou apresentando alguma outra forma de nos ajudar, ou se estiver interessado de exibir os nossos feeds em seu blogue ou site de notícias, entre em contato comigo pelo email daniel.carvalho [em] gmail [ponto] com.