Daniel Duende é escritor, brasiliense, e tradutor (talvez nesta ordem). Sofre de um grave vício em video-games do qual nunca quis se tratar, mas nas horas vagas de sobriedade tenta descobrir o que é ser um blogueiro. Outras de suas paixões são os jogos de interpretação e sua desorganizada coleção de quadrinhos. Vez por outra tira também umas fotografias, mas nunca gosta muito do resultado.

Duende é atualmente o Coordenador do Global Voices em Português, site responsável pela tradução do conteúdo do observatório blogosférico Global Voices Online, e vez por outra colabora com o Overmundo. Mantém atualmente dois blogues, o Novo Alriada Express e O Caderno do Cluracão, e alterna-se em gostar ora mais de um, ora mais de outro, mas ambos são filhos queridos. Tem também uma conta no flickr, um fotolog e uma gata branca que acredita que ele também seja um gato.

sábado, 19 de janeiro de 2008

Proibição do CS e do Everquest: um caso de falta de olhar para o próprio umbigo.

Serginho Amadeu cantou a pedra, rápido no gatilho como sempre, e a Lu Freitas ecoou e mandou ver ná no LiveStream do CampusParty 2008: Tem um juiz de Goiás que está tentando (e, pelo visto, conseguindo) emplacar uma proibição da venta dos jogos CounterStrike e EverQuest em todo o território nacional. A alegação? Os jogos tornariam os jovens mais violentos.

Ora, mas além do absurdo de uma proibição baseada em argumentos pífios que não se sustentam, algo que mais parece censura daquilo que não se entende ou não se gosta do que medida em prol da população, esta proibição mostra o quanto certos juristas e parlamentares não sabem olhar para o próprio umbigo.

Sem mais frases longas (ufa!), quem pode falar em jogos que tornam as pessoas mais violentas enquanto vive-se em um país em franco caos social? Quem pode olhar feio para as crianças dando tiros virtuais em LAN-Houses ou no conforto de suas casas quando tantas crianças de periferia tem como única chance de ter alguma coisa na vida a carreira de soldado do tráfico, onde os tiros são de verdade e o jogo termina quando se leva o primeiro "frag"? Que sentido faz proibir jogos eletrônicos, dizendo que eles "tornam a juventude mais violenta", quando as causas e os sustentáculos da violência estão em todos os lados e, cá entre nós, só uma classe de privilegiados tem alcance a estes jogos.

Mas então estão preocupados com a violência na classe média? Então que tal fechar as academias de artes marciais -- já que alguns praticantes delas podem se tornar violentos, bem mais do que os gamers que gostam de dar uns tirinhos? Que tal proibir a venda de bebidas alcoólicas em todo o território nacional -- já que o álcool pode ser responsável por muita violência? Que tal... que tal... que tal parar de merda e perceber que não são as academias, o álcool e muito menos os jogos os responsáveis pela atual situação de violência que assola nossa população, das classes A à E?

Em suma. A decisão do juiz não é apenas inócua -- tremenda falta de assunto e vontade de trabalhar -- mas é também absurda e desrespeitosa para com a população. Se é proibido dar tiros virtuais, tudo que vai nos restar é esperar ter a sorte de conseguir escapar dos reais. E, cá entre nós, um não tem nada a ver com o outro. Uns são divertidos. Os outros, matam.

Mas é a ignorância, e não os jogos de computador, que mata.
Abaixo a proibição do CS e do EverQuest.

Mande seu email para a 17a Vara Federal de Goiás expressando sua opinião a respeito da proibição destes jogos. Talvez eles nos ouçam, se souberem mais sobre ler emails do que sobre comportamento de juventude e jogos eletrônicos.

O email da 17a Vara é: 17vara@mg.trf1.gov.br

4 comentários:

Hamithat disse...

Lendo mais do que comentando, nao podia deixar de dar uma investigada no caso. Infelizmente nao consegui ver nem a inicial, nem a sentença do Juiz da 17 Vara Federal de Minas Gerais.
Se conseguir a sentença tem como recorrer contra ela aqui em BSB.
De qualquer forma, encontrei mais uma perola do Ministério Publico Federal de MG tentando proibir jogos de RPG, segue o link:
http://www.prmg.mpf.gov.br/producao/pecas/Dr%20Fernando/ACP%20-%20Retirada%20dos%20jogos%20RPG%20Demonio%20-%20A%20Divina%20Comedia,%20Illuminati%20e%20Vampiro%20-%20A%20Mascara.pdf

Quando beberemos denovo? hehe

Saudaçoes

Lucia Freitas disse...

Oi, Daniel
Obrigada pelo apoio e pelo raciocínio mais que claro. É tudo o que podemos fazer (por enquanto) sobre a história. Ontem, no Twitter, alguém divulgou o e-mail da vara de Minas... claro que não consegui recuperar AFF.

Daniel Duende disse...

Olá meu caro cara Hamithat. Valeu pela dica. Vou dar uma checada nisso em breve (pois agora já estou carcomido de cansaço e sono e mal consigo entender o que leio, mas fiz questão de responder seu comentário e o da Lucia o quanto antes).

Vamos levantar mais informações sobre este caso? Tem bastante gente blogando sobre a conversa, e o Campus Party vai -- a não ser que o Juiz solte um mandado proibindo -- ter um campeonato de CS. Acho que vai ser interessante.

Por falar nisso, você vai ao Campus Party, não vai? Se for por falta de convite, posso te providenciar um.

Abraços do Verde.

Daniel Duende disse...

Olá Lucia. Não há de que. Este é um daqueles assuntos que nos interessam a todos, e eu não poderia deixar de ecoar as conversas e dar meu "dois cents" no assunto.

O email da 17a vara de Goiás (até onde sei, foi lá e não em Minas que regurgitaram esta decisão) está no post, não? Eu o extraí justamente da postagem do Twitter à qual você se refere.

Seguem as conversas.

Abração do Verde.