Daniel Duende é escritor, brasiliense, e tradutor (talvez nesta ordem). Sofre de um grave vício em video-games do qual nunca quis se tratar, mas nas horas vagas de sobriedade tenta descobrir o que é ser um blogueiro. Outras de suas paixões são os jogos de interpretação e sua desorganizada coleção de quadrinhos. Vez por outra tira também umas fotografias, mas nunca gosta muito do resultado.

Duende é atualmente o Coordenador do Global Voices em Português, site responsável pela tradução do conteúdo do observatório blogosférico Global Voices Online, e vez por outra colabora com o Overmundo. Mantém atualmente dois blogues, o Novo Alriada Express e O Caderno do Cluracão, e alterna-se em gostar ora mais de um, ora mais de outro, mas ambos são filhos queridos. Tem também uma conta no flickr, um fotolog e uma gata branca que acredita que ele também seja um gato.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Sem palavras de despedida...

Um grande amigo meu morreu nestes últimos dias.

A morte de alguém querido é sempre difícil. Quando se soma a juventude daquele que partiu, e as circunstâncias de sua partida, a situação se torna ainda pior. Fiquei os últimos 3 dias como que em um transe, sem saber ao certo o que pensar nem o que dizer, ouvindo por vezes o eco distante da gargalhada sonora de meu saudoso amigo no vento... sem rumo, como meus pensamentos.

Por vezes acho que sei lidar com a morte. Talvez saiba, a meu modo, sobreviver a ela. Mas mesmo assim, eu não estava pronto para isso. E eu, que sempre pareço ter algo a dizer (mesmo que seja besteira) sobre as coisas da vida, sinto que nada tenho a dizer neste momento.

Só o que me vem à cabeça é "Descansa, Bróder!".


E assim a vida segue.

5 comentários:

Ana Néca disse...

é,a gente fica mesmo sem saber o que dizer. eu ainda estou no transe. e ao que parece vou demorar pra sair. precisando, estou por aqui!
Beijos,
Ana Néca
PS.: lembra de mim? :)

Ana Néca disse...

meu blog: o-coreto.blogspot.com. beijos mais

Hamithat disse...

Brow, vida pós-moderna é um bom tag. Eu tmb fiz um post sobre o tema...
[]'s

Daniel Duende disse...

Olá Ana. É claro que lembro de você, dos idos tempos de 109...
e é claro que é difícil lembrar daqueles tempos sem lembrar do nosso amigo que foi passear pra não voltar mais... =/

Mas a vida continua.

Abraços do Verde.

Daniel Duende disse...

Olá Ariel...

Imaginei mesmo que gostaria do meu velho tag estranho. :)

Li seu post. Tudo que tenho a dizer está dito lá. "É foda".

Abração do Verde.